• Cabala News

A relação entre os antigos mandamentos e a prevenção de doenças

Diversos veículos de comunicação começam a noticiar avanços nas pesquisas israelenses no que se refere a uma vacina contra o coronavírus. Acredita-se que dentro de aproximadamente 90 dias o medicamento estará disponível ao mercado consumidor de todo o mundo.

A prevenção ao contágio remete a um registro histórico que nos leva à reflexão: No ano de 1350, a Europa foi atingida por uma doença mortal devastadora, a peste bubônica, também conhecida como peste negra. Essa doença que chegou da Ásia e foi transmitida por pulgas que habitavam ratos e outros roedores matou metade da população européia. A bactéria mortal é hoje conhecida como 'yersinia pestis', mas naquela época a origem da praga era desconhecida. A explicação dada pela escola de medicina em Paris foi que a peste negra se devia ao "desalinhamento" de três planetas em 1345: Marte, Júpiter e Saturno. Isso causou uma "grande pestilência no ar", uma espécie de "ar ruim". Mas as pessoas comuns, as massas, tinham sua própria teoria de quem eram os verdadeiros culpados da peste negra: os judeus. O povo acusou os judeus de envenenarem deliberadamente os poços de água. Perseguições, pogroms e massacres de judeus durante 1348-1351 são impossíveis de descrever ou imaginar. Os primeiros massacres ocorreram em abril de 1348 em Toulon, França, onde o bairro judeu foi invadido e 40 judeus foram mortos em suas casas. Em 1349, as perseguições se espalharam por toda a Europa, de Barcelona, Espanha, a Erfurt, Alemanha. Em 14 de fevereiro de 1349, no "Dia dos Namorados", 2.000 judeus foram queimados vivos em Estrasburgo, onde a praga ainda não havia afetado a cidade. E enquanto as cinzas ainda estavam queimando, os moradores cristãos da cidade saquearam as casas dos judeus assassinados e levaram tudo o que acharam valioso. 510 comunidades judaicas foram arrasadas e seus habitantes massacrados. Os judeus eram os bodes expiatórios favoritos da Europa cristã. Eles foram culpados por qualquer calamidade ou crime não esclarecido. Mas, no caso específico da peste negra, havia uma razão adicional que alimentava essas falsas suspeitas: os judeus não foram afetados por essa doença como seus vizinhos não judeus. Qual seria a explicação lógica para este fenômeno? Na Europa medieval, a importância da higiene na prevenção de doenças era desconhecida. As ruas estavam sujas, com animais vivos ou mortos, e abundantes parasitas, pulgas e piolhos que facilitavam a transmissão de doenças. As pessoas não tomavam banho regularmente. Os monges, por exemplo, eram proibidos de tomar banho mais de 2 ou 3 vezes por ano. Os judeus, no entanto, têm uma regra que é cumprida há mais de 2.000 anos: tomar banho em homenagem ao Shabat. Assim, desde os tempos antigos, os judeus eram completamente higienizados pelo menos uma vez por semana. Algo absolutamente excepcional naqueles tempos. O elemento mais importante que impediu a disseminação da peste negra entre os judeus, também mencionado pela Wikipedia no artigo sobre o assunto, foi a higiene das mãos. A lei judaica declara que a primeira coisa que você deve fazer todos os dias quando acorda de manhã é lavar as mãos, mesmo antes de colocar as mãos no rosto, na boca ou nos olhos. Segundo a tradição judaica, é obrigatório lavar as mãos antes de orar, isso é, 3 vezes ao dia. É preciso também lavar as mãos antes de comer pão ou qualquer alimento que tenha sido imerso em qualquer tempero líquido (שטבר שטיבולו במשקה). Lembre-se de que naquele tempo eles comiam com as mãos (não havia talheres). A lei judaica também afirma que se deve lavar as mãos ao sair do banheiro. Um judeu, em suma, lavava as mãos várias vezes ao dia. E isso, o que parece normal para nós hoje, não era a prática das pessoas comuns na Europa medieval, pois a água corrente não abundava. A medicina moderna, graças a D'us, nos ajudou a encontrar o remédio para a peste negra e combater todos os tipos de bactérias, infecções e doenças que antes eram mortais. Hoje, além disso, na maioria das casas do mundo, as medidas de higiene são muito altas e eficazes. Mas, mesmo assim, nesses momentos em que o mundo inteiro está assistindo com horror como o perigoso coronavírus se espalha, é importante redobrar os esforços para manter as mãos limpas. A Organização Mundial da Saúde explica como minimizar o risco de infecção pelo coronavírus e, curiosamente, a primeira indicação tem a ver com a higiene das mãos. O que para os judeus é uma ordenança sagrada, uma mitzvah. Mais do que os judeus têm guardado as mitzvot, as mitzvot têm guardado aos judeus.

11 visualizações

Receba nossas atualizações

  • Ícone do Facebook Branco
  • Ícone do Twitter Branco

© 2019 por CabalaNews. Orgulhosamente criado com Wix.com